terça-feira, 26 de março de 2013

A festa do circo DANILO CRESPO



Na festa do circo,
ninguém conseguia impressionar a bailarina.
O homem da perna de pau deu azar,
tinha levantado com o pé esquerdo.
O mágico quando chegou lá,
estava de mãos atadas como sempre.
O domador nem teve chance,
todo mundo o achava amigo da onça.
O equilibrista perdeu a linha
e suas esperanças caíram por terra.
O engolidor de fogo nem foi à festa,
estava com uma queimação no estômago.
O ilusionista veio com um papo estranho,
sem pé nem cabeça.
O monociclista só andou em círculos,
deu volta demais pra chegar no assunto.
O contorcionista meteu os pés pelas mãos.
O homem-bala entrou pelo cano.
O malabarista trocou as bolas.
O trapezista a deixou na mão.
O ventríloquo era muito cara-de-pau.
O fakir era furada.
A bailarina, que ficou a festa toda bebendo,
acabou na mão do palhaço.